Pergaminho

Na aula passada pudemos observar o contexto da libertação dos judeus da Babilônia e a restauração de Jerusalém e do seu povo em relação às profecias de Daniel, Jeremias e Isaías.

Aliás, uma das coisas que muito me impressiona na Bíblia é o cumprimento de profecias.

Daniel revelou a Belsazar a visão da escritura na parede (“Mene, Mene, Tequel e Parsim” – Dn 5.25), que indicava que a divisão do reino da Babilônia entre os medos e os persas, o que ocorreu naquela mesma noite, quando Ciro e seu exército invadiu a cidade e dominou a Babilônia de surpresa, sem batalha.

E Isaias havia profetizado que Ciro seria o libertador de Israel (Is 44 e 45). Ocorre que a profecia foi feita quase 200 anos antes, quando a Babilônia sequer tinha invadido Jerusalém e levado cativo o seu povo.

Por fim, Jeremias predisse que o cativeiro do povo judeu na Babilônia duraria 70 anos (Jr 25.12 e 29.10).  Sendo Jeremias um verdadeiro profeta de Deus, obviamente tal profecia se cumpriu no tempo determinado, quando Deus despertou o espírito de Ciro, que autorizou o retorno do povo a Jerusalém.

Estes eventos devem nos encher de confiança, pois eles revelam a soberania do nosso Deus, que age ativamente na História e que cumpre todas as suas promessas.

Presb. Daniel Gomes de Oliveira

*  “E assim foi escrito, e assim se fará”

célebre frase do filme “OS DEZ MANDAMENTOS” de Cecil B. DeMille (à disposição em nossa videoteca!)

Anúncios